Director Nacional dos Serviços Agrários, Mohamed Valá, exorta aos quadros da Agricultura a Nível Nacional, a Participar com Afinco na Transformação dos Produtores de Subsistência para Produtores Virados para o Mercado Versão para impressão

_mg_8919Dirigindo-se aos participantes da Nona Reunião Técnica e Metodológica dos Serviços Agrários, sublinhou que o sector de agricultura é a salvação do desenvolvimento, assumindo que o produtor tem o direito pleno de produzir e os seus técnicos a obrigação de garantir a assistência multiforme para o aumento da produção, produtividade e melhor competividade, para que duma forma geral o povo tenha acesso a comida em quantidade e qualidade para uma vida saudável.

Intervencão, por Ocasião do Encerramento da Nona Reunião Técnica

Por outro lado, referiu também que sendo a estrutura da agricultura dominada pelo sector familiar, dependente do uso da enxada do cabo curto, cujas consequências traduzem em abertura de área até 0,5 hectares, dispêndio de muito tempo em detrimento de outras actividades, o Governo para reverter a situação com vista a melhorar as condições de trabalho para a preparação da terra, está em curso a nível nacional o estabelecimento de Parques de Máquinas e Centros de Prestação de Serviços, cuja maquinaria, equipamento associado a implementos.

Referindo-se a Campanha Agrária 2014/2015, Mohamed Valá, referiu que esta foi afectada pelas adversidades climáticas decorrentes dos efeitos conjugados da irregularidade, queda excessiva das chuvas, inundações e cheias que afectaram cerca de 120.000 produtores e causaram a perda de cerca de 171.000 há de culturas diversas, equivalentes a 3,1 da área.

Não obstante, a irregularidade das chuvas conjugadas com o fenómeno de estiagem causaram a perda de 56.000 há, correspondentes a 1% da área total semeada com culturas diversas em 8 Distritos da Região Sul das Províncias de Sofala e Manica afectando cerca de 38.000 produtores e 140.000 há de pastagens, como também a morte e desaparecimento de animais, de diversas espécies bem como a destruição de infraestruturas de apoio à produção.

Sobre a Nona Reunião Técnica, o Director Nacional dos Serviços Agrários, afirmou que pretende que seja um encontro em que os participantes devem interagir de uma forma activa e franca, pois mais do que fazer balanco dos programas do sector já realizados, a sua agenda contem temas cujos objectivos devem encontrar consensos na vertente operacional para que se possa dar um salto significativo no alcance dos objectivos preconizados no PEDSA como veículo para o cumprimento das prioridades e acções preconizados no plano Quinquenal do Governo.

No leque de temas, a primazia vai para as atribuições, prioridades e desafios do MASA para 2015-2019; os programas de fortalecimento da cadeia de sementes; da cultura do arroz; da horticultura; de transferência de tecnologias em sistemas de produção da cultura de mandioca e ainda de mecanização agrária.

O sector agrário, em especial, os serviços agrários, tem desafios enormes por transpor, de forma a contribuir para o alcance dos desideratos do PEDSA concernentes ao aumento da produtividade e produção agrícola; estabelecimento de infraestruturas de apoio à produção e ligação com os mercados, mas também há desafios como garantir a segurança alimentar e geração de renda, salvaguarda do equilíbrio ambiental e saúde pública com base na boa gestão de agroquímicos e operacionalização do plano de acção de reflorestamento.