PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Filipe Jacinto Nyusi Trabalha no Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar e deixa Orientações Versão para impressão

umb26umb18O Presidente da República, cumpriu a jornada de trabalho, legislado na Função Pública Moçambicana, que estipula 8 horas de trabalho por dia, escalando os empreendimentos ligados a agricultura no Distrito de Boane a cerca de 30 quilómetros do Gabinete de Trabalho, onde foi interagir com os percursores do desenvolvimento agrário.

A visita tinha como objectivo solidarizar-se com os que garantem a produção e produtividade agrária tendo em conta a responsabilidade que esta máquina tem para garantir a segurança alimentar no País e contribuição na balança de pagamento através das exportações.

A recepção de Sua Excelência aconteceu no Centro Internacional de Transferência de Tecnologias Agrárias no Umbelúzi, onde vários grupos culturais abrilhantaram a chegada do Presidente da República e representantes do Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar e Governo da Província de Maputo, ao alto nível esteve representado.

Filipe Nyusi, visitou sucessivamente um produtor singular de nome Xadreque Mutemba, que produz entre outras culturas verduras diversas, hortícolas, fruticultura da manga e numa fase inicial a criação de frangos na perspectiva do Programa Intensivo de Transferência de Tecnologias Agrárias – PITTA, levado acabo pela Direcção Nacional de Extensão Agrária no MASA.

Outro local visitado por Sua Excelência o Presidente da República, foi a Empresa Bananalândia que está a desenvolver tecnologias de pontas de produção da banana e que conquistou o mercado nacional, regional e internacional pela sua qualidade e capacidade de produção. Seguidamente o Presidente da República visitou os campos de experimentação de hortícolas, arroz e milho numa parceria entre Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar, Ministério da Ciência e Tecnologia e o Governo da República Popular da China.

umb25

Na recepção desta Primeira Visita do Presidente Filipe Jacinto Nyusi à família da agricultura e segurança alimentar a Província de Maputo, organizou uma exposição-venda de produtos agrários onde os 8 Distritos estiveram representados com as suas potencialidades na produção de suplementos para animais na pecuária, distinção dos fazedores da agricultura a nível da província, investigação de variedades melhoradas de sementes, agroprocessamento de fruteiras, programa intensivo de transferência de tecnologias agrárias, produção de hortícolas, avicultura, fruticultura, bem como o abastecimento aos supermercados e comercialização de produtos.

Na segunda etapa da visita, o Presidente da República, reuniu-se a porta fechada com os membros do Conselho Consultivo do MASA e os Directores Provinciais, Directores de Projectos Agrários e convidados de outros Ministérios e no final do encontro, Filipe Nyusi desafiou o MASA a:

  1. Priorizar o desenvolvimento da pecuária dada as potencialidades que o país apresenta;
  2. Os cidadãos deste país devem ser potenciados de informação sobre a segurança alimentar e como alimentar-se bem;
  3. O MASA deve direcionar a actividade principal de produção de comida em abundância para alimentação e exportação diminuindo assim o volume das importações e poupar mais divisas;
  4. A necessidade de reflectir nos mecanismos que contribuam para a redução dos custos de produção na agricultura moçambicana;
  5. A necessidade de diminuir a dependência de Moçambique dos países vizinhos, para tal deve-se sistematizar a produção dos camponeses com base nos objectivos e intenções nacionais;
  6. A necessidade de apoiar cada vez mais sector familiar, incentivando também o desenvolvimento do sector privado, através de criação de mais facilidades para deixar de considerar a agricultura como uma actividade de risco;
  7. A necessidade de abordar a mecanização e sua vantagem na produção agrária de modo a criar diferença;
  8. A investigação deve desenvolver actividades que devem produzir impacto na produção.

Entretanto o Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar, deve responsabilizar as explorações agrárias com mais de cinco anos em estado de abandono, tendo destacado e nós citamos "a terra deve ser optimizada". O MASA deve potenciar a disseminação das técnicas de produção agrária e visualizar onde deve acontecer a agricultura no País.

O MASA deve encorajar as Empresas  de Exploração de Gás, Prospecção de Petróleo, Aréias Pesadas, Exploração de Carvão a apostarem na produção nacional de fertilizantes para aplicar na agricultura.

O MASA devem igualmente apostar no processamento de fruteiras evitando assim a deterioração destes. Apostar no marketing das actividades agrárias em Moçambique. A pecuária deve ser desenvolvida em todas as províncias do País.

O Plano Quinquenal do Governo deve ser de domínio de todos os técnicos do sector de agricultura e o MASA nas diversas abordagens, nos eventos deve direcionar as discussões aos assuntos concretos.

O Presidente da República incentivou o MASA a ser mais criativo na mobilização de investimentos, dentro das balizas e regras estabelecidas no Governo da República de Moçambique